1 a 4 de julho

América Latina cria o Foro de São Paulo

Organização é fundada em busca de alternativas ao forte vento neoliberal

Seminário internacional promovido pelo PT em São Paulo, em parceria com outras organizações e partidos de esquerda da América Latina, dá origem ao Foro de São Paulo. A organização é criada com o objetivo de buscar alternativas ao receituário neoliberal que começava a ser hegemônico no mundo.

Naquele ano fora lançado o Consenso de Washington, com receitas econômicas que, aplicadas por vários governos da região, tiveram resultados desastrosos. O fracasso posterior do neoliberalismo na América Latina contribuiria decisivamente para o surgimento na década seguinte de governos de esquerda e de centro-esquerda na maioria dos países.

Desde então, o Foro de São Paulo faz reuniões periódicas nos países que têm partidos ou organizações filiadas. São mais de cem, incluindo partidos com diferentes matizes de esquerda (esquerda, ultraesquerda, sociais-democratas e comunistas), organizações sindicais e sociais, grupos étnicos e movimentos da esquerda católica.

A 20ª e última reunião do Foro de São Paulo foi realizada em La Paz (Bolívia), em 28 de agosto de 2014. Seu tema central foi a mobilização pelas vitórias eleitorais de Dilma Rousseff (Brasil), Evo Morales (Bolívia) e Tabaré Vázquez (Uruguai). Todos foram eleitos.