Março–abril

'Apesar de Você' é o hino da resistência

Samba ironiza ditadura e vende 100 mil discos – até a censura entender a letra

Chico Buarque volta do exílio e compõe "Apesar de Você", samba que podia ser entendido tanto como uma briga de casal ou uma crítica à ditadura:

"Hoje você é quem manda/ Falou, tá falado, não tem discussão/ A minha gente hoje anda/ Falando de lado e olhando pro chão/Você que inventou esse estado / Inventou de inventar toda escuridão /Você que inventou o pecado /Esqueceu-se de inventar o perdão/ Apesar de você, amanhã há de ser outro dia..."

Os censores não perceberam o duplo sentido da letra, mas o público entendeu o recado. Cem mil cópias foram vendidas em uma semana, tempo que as autoridades levaram para proibir a distribuição e a execução do samba em rádio e TV. A censura chegou tarde para impedir o sucesso popular de "Apesar de Você", que se tornaria um hino de resistência e esperança ao longo dos anos de chumbo.