26 de março

Assinado o tratado que cria o Mercosul

Argentina, Brasil, Uruguai e Paraguai formam zona de livre comércio

Os presidentes da Argentina, Brasil, Paraguai e Uruguai assinam o Tratado de Assunção, que institui o Mercosul, concluindo um longo e delicado processo de negociações para a integração regional. O acordo cria uma zona de livre comércio na qual os países signatários não tributariam nem restringiriam importações entre si e garantiriam a livre circulação de pessoas e mercadorias. 

As conversações para a criação de um bloco regional tiveram início em 1985, após o fim das ditaduras no Brasil e na Argentina. Os primeiros presidentes civis, José Sarney e Raúl Alfonsín, encontraram-se na fronteira, em Foz do Iguaçu (PR), e selaram uma aliança estratégica entre os dois países. O primeiro objetivo da aproximação foi o de superar antagonismos históricos, originados nas disputas territoriais dos processos de independência e que se agravaram posteriormente em virtude da competição pela hegemonia regional. Em junho de 1986, Sarney e Alfonsín firmaram uma série de acordos para a integração argentino-brasileira em vários setores – entre eles, a renúncia expressa a projetos nucleares para a construção de armas de guerra.

Ainda no governo Sarney, em abril de 1988, o Uruguai uniu-se ao esforço pela integração, seguido pelo Paraguai. Começaram então as negociações para a formação da zona de livre comércio entre os quatro países.

O Tratado de Assunção sofreria nos anos seguintes algumas alterações e complementações. Em dezembro de 1994, no governo Itamar Franco, foi assinado o Protocolo de Ouro Preto, que criou a estrutura institucional do Mercosul. A partir de janeiro de 1995, a zona de livre comércio se converteria em uma união aduaneira, na qual todos os signatários cobrariam, nas importações de países fora do bloco, uma Tarifa Externa Comum (TEC).

Em 1996, Bolívia e Chile adquiriram o status de associados. Em julho de 1998, após uma tentativa de golpe no Paraguai, os quatro países membros e os dois associados firmaram o Protocolo de Ushuaia sobre o Compromisso Democrático do bloco. Essa cláusula justificaria, em 2012, a suspensão temporária do Paraguai após a deposição do presidente Fernando Lugo.  Nesse ano, a Venezuela uniu-se ao bloco. Atualmente, além de Bolívia e Chile, são Estados associados Colômbia, Peru, Equador, Guiana e Suriname.