14 de outubro

CNBB articulará ação pastoral

Entidade idealizada por d. Hélder Câmara é criada em assembleia de bispos no Rio

Assembleia de bispos de todo o país, iniciada há quatro dias no Rio de Janeiro, cria a Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB). Assume a secretaria-geral da entidade dom Hélder Câmara, principal defensor dessa nova instância de articulação da ação pastoral das dioceses. De perfil majoritariamente progressista, a CNBB reúne todos os bispos brasileiros, além de três cardeais eleitos. Os antigos departamentos da Ação Católica passam a se constituir em secretariados permanentes da Conferência.

A CNBB, em sua origem, era um órgão que visava articular, com oportunidade e eficiência, a ação de todo o Episcopado Nacional, em problemas importantes de interesse comum a todas as dioceses brasileiras — ou seja, pretendia mobilizar uma ação pastoral comum entre todos os bispos do Brasil. Suas deliberações, porém, não eram obrigatórias, pois não tinham caráter de lei e podiam até ser ignoradas pelos bispos em suas dioceses.

No discurso de fundação da entidade, dom Hélder afirmou que a iniciativa ia contra a “conspiração do silêncio, não permitindo que os veículos da opinião pública continuem a dar a impressão de ausência da igreja ou de um papel secundário da mesma igreja na vida do país e do mundo”.

À frente da CNBB até o golpe de 1964, dom Hélder atuaria para adequar a ação da Igreja brasileira à realidade do país.

As orientações da entidade seriam um importante elemento de articulação pastoral da ala progressista, que mais tarde defenderia a chamada Teologia da Libertação e assumiria relevante papel na resistência contra a ditadura.