15 de maio

Boias-frias em greve enfrentam ditadura

Trabalhadores se organizam no interior de São Paulo e de Minas

Cerca de dez mil boias-frias (trabalhadores rurais temporários) da região de Guariba (SP) entram em greve por melhores salários, condições de trabalho e de vida. Foi a primeira paralisação organizada por essa categoria de trabalhadores, recrutados para trabalhar na colheita de cana-de-açúcar e de laranja sem carteira assinada e muitas vezes em condições semelhantes ao trabalho escravo.

A greve durou cinco dias e terminou num acordo intermediado pelo governo de São Paulo. Uma onda de greves de boias-frias se estenderia pelo interior de São Paulo e sul de Minas Gerais até o mês de setembro.