31 de agosto

Brasil declara guerra à Alemanha e à Itália

Governo cede à indignação popular contra o torpedeamento de navios brasileiros

Não é mais possível adiar: o Brasil declara guerra à Alemanha e à Itália. Foram 19 navios torpedeados entre fevereiro e agosto de 1942, matando centenas de pessoas.

Entre 15 e 17 de agosto daquele ano, cinco navios brasileiros foram postos a pique pelo submarino alemão U-507 no litoral de Sergipe e Bahia. O maior deles foi o “Baependi”, no dia 15, levando à morte mais de 250 pessoas, entre tripulantes e passageiros. Poucas horas depois, chegaram notícias sobre o “Araraquara”, o “Aníbal Benévolo”, o “Itagiba” e o “Arará”: todos afundados, mais de 600 vítimas, entre mortos e feridos.

A notícia dos ataques contra navios brasileiros comoveu a população e motivou reações violentas em muitas cidades. Estabelecimentos comerciais pertencentes a imigrantes dos países do Eixo foram depredados. Houve tentativas de linchamentos. A União Nacional dos Estudantes organizou passeatas nas principais cidades, exigindo a entrada do Brasil na guerra ao lado dos Aliados.

Em resposta aos apelos da sociedade, o governo brasileiro decretou o estado de guerra contra a Alemanha e a Itália.

Não se sabe ao certo o número exato de vítimas, mas se calcula que os torpedeamentos de embarcações brasileiras tenham causado mais de mil mortes.