23 de dezembro

Brasil é pioneiro em biocombustíveis

Programa introduz o produto na nossa matriz energética e atrai atenção global

O presidente Lula assina decreto instituindo uma Comissão Executiva Interministerial que deverá criar o Programa Nacional de Produção e Uso do Biodiesel (PNPB), o que introduzirá o biocombustível — feito a partir dos óleos de mamona, soja, girassol e amendoim — na matriz energética brasileira.

O PNPB também teria como objetivo modificar a forma de produção da matéria-prima dos biocombustíveis, incentivando a agricultura familiar e visando à geração de emprego e renda no agronegócio sustentável. Seriam criados fóruns e mesas de negociação entre produtores familiares, representantes do agronegócio e consumidores de biodiesel.

Também seria criado o selo Combustível Social, para incentivar a compra direta da produção dos pequenos agricultores, evitando assim que o mercado de biodiesel fosse dominado por latifúndios monocultores de soja.

O próprio inventor do biodiesel, o cearense Expedito Parente, seria um dos colaboradores do programa. Tais iniciativas seriam reconhecidas internacionalmente por instituições como o Banco Mundial, que em relatório de 2015 situaria o Brasil como o terceiro país com maior crescimento de consumo de energia renovável.