13 de novembro

Brasil lidera debate sobre o clima

País anuncia meta voluntária de redução de emissão de gás carbônico

O Brasil anuncia compromissos voluntários para colaborar na contenção do aquecimento global. As metas para 2020 estabelecem redução entre 36,1% e 38,9% na emissão de gases causadores do efeito estufa (GEE).

Foi a primeira vez que o país se comprometeu com a redução de GEE. De matriz energética já predominantemente limpa, suas emissões de gás carbônico de alto volume se concentram no desmatamento, na siderurgia, na pecuária e na agricultura.

O compromisso voluntário estabelecido pelo Brasil tinha o objetivo político de pressionar os países desenvolvidos a assumir a meta de 40% na redução de GEE durante a 15ª Conferência das Nações Unidas sobre Mudanças Climáticas (COP-15), que ocorreria no mês seguinte, em Copenhague (Dinamarca).

O país visava assim buscar alternativas ao Protocolo de Kyoto — único documento internacional a estabelecer metas de redução de emissão de gases pelos países desenvolvidos —, não respeitado pelas grandes potências emissoras.

O Brasil teria papel de destaque nas discussões da COP-15. Além de ser um líderes dos debates sobre as metas de redução do efeito estufa, também conduziria as discussões sobre o combate ao desmatamento na Amazônia.

O documento final da conferência, marcada pela falta de comprometimento das grandes potências, seria redigido por Brasil, Estados Unidos, China, Índia e África do Sul.

Em 29 de dezembro, com base nos acordos e objetivos firmados durante a COP-15, seria instituída a Política Nacional sobre Mudança do Clima.