1º de setembro

Censo revela: somos mais de 40 milhões

Pesquisa de 1940, divulgada só agora, traz novos dados sobre os brasileiros

O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) lança a sinopse do Recenseamento Geral de 1940. É o quinto recenseamento da população feito no país (o primeiro do IBGE), o segundo censo da agricultura e da indústria e o primeiro levantamento do comércio, transportes, das comunicações e dos serviços existentes.

O censo também pesquisou o número de estrangeiros que viviam no Brasil e os idiomas que os habitantes falavam em suas casas. Outra novidade foi a coleta de informações sobre o número de sindicalizados, as propriedades imobiliárias e a participação em instituições de previdência e seguros sociais.

Devido a uma série de problemas, os resultados finais do Censo só foram conhecidos em 1946, quando se constatou que, em 1940, o Brasil tinha 41.236.315 habitantes.

O censo ficaria marcado para a população pela música “Recenseamento”, de Assis Valente, que fez muito sucesso na voz de Cármen Miranda:

“Em 1940 lá no morro começaram o recenseamento
E o agente recenseador esmiuçou a minha vida
Que foi um horror!
E quando viu a minha mão sem aliança
Encarou para a criança que no chão dormia
E perguntou se meu moreno era decente
E se era do batente ou era da folia.

Obediente eu sou a tudo que é de lei.
Fiquei logo sossegada e falei então:
— O meu moreno é brasileiro, é fuzileiro,
e é quem sai com a bandeira do seu batalhão!

A nossa casa não tem nada de grandeza
Nós vivemos na pobreza sem dever tostão
Tem um pandeiro, tem cuíca, um tamborim
Um reco-reco, um cavaquinho e um violão!

Fiquei pensando e comecei a descrever
Tudo, tudo de valor que meu Brasil me deu:
Um céu azul, um Pão de Açúcar sem farelo
Um pano verde e amarelo,
Tudo isso é meu!
Tem feriado que pra mim vale fortuna
A Retirada da Laguna vale um cabedal!
Tem Pernambuco, tem São Paulo, tem Bahia,
um conjunto de harmonia que não tem rival!”