1º de agosto

Cai o desmatamento na Amazônia

Queda vem desde o ano anterior; 2010 registra menor índice desde 1977

A Amazônia tem sua menor taxa de desmatamento desde 1977. De agosto de 2009 a julho de 2010, foram desmatados 2.296 quilômetros quadrados — queda de 48% em relação ao mesmo período entre 2008 e 2009. Os dados são do Sistema de Detecção de Desmatamento em Tempo Real (Deter), do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe). É o segundo ano consecutivo de redução de área desmatada.

Entre as medidas que causaram a queda estavam o lançamento, em 2004, do Plano de Ação para Prevenção e Controle do Desmatamento na Amazônia (PPCDAm).

No âmbito desse plano, criaram-se Unidades de Conservação, intensificou-se o monitoramento e o controle do desmatamento, combateu-se o crime organizado e implementaram-se programas de apoio às prefeituras que detinham as maiores taxas de desmatamento.

Para burlar o monitoramento via satélite, cada vez mais severo, os madeireiros ilegais alteravam constantemente o padrão de desmatamento, que vinha se concentrando em pequenas áreas distantes entre si. Em resposta, o governo determinou ações conjuntas do Ibama, Polícia Federal, Exército e Força Nacional de Segurança.

A desaceleração no desmatamento, tendência que se confirmaria nos anos seguintes, foi uma das principais responsáveis pela redução da emissão de gases do efeito estufa pelo Brasil, conforme meta estabelecida voluntariamente pelo governo no âmbito da COP-15, em 2009.