26 de junho

Chega o "Pasquim" para fazer rir e pensar

Num jornal que marcou época, os melhores humoristas do país faziam rir da ditadura

É lançado "O Pasquim", que se tornaria um dos mais duradouros e populares jornais alternativos do país, chegando a vender 200 mil exemplares por semana. Idealizado pelo cartunista Jaguar para ser um jornal do bairro carioca de Ipanema, mais voltado para o humor comportamental, o semanário foi abordando cada vez mais os temas políticos – mas sem perder jamais a característica de jornal de sátira e humor.

A publicação resistiu valentemente ao cerco da censura, e seus jornalistas enfrentaram perseguições e prisões. Fizeram parte de sua redação, entre outros, Millôr Fernandes, Ziraldo, Tarso de Castro, Henfil, Ivan Lessa, Sérgio Cabral, Claudius, Fortuna e Luís Carlos Maciel. "O Pasquim" também contou com colaborações de Paulo Francis, Chico Buarque, Caetano Veloso, Chico Anísio e Antonio Callado.