13 de agosto

URSS manda erguer muro e dividir Berlim

Objetivo é impedir a migração de mais alemães-orientais para o outro lado

As fronteiras entre os lados ocidental e oriental de Berlim são fechadas por ordem do governo soviético. De forma dramática — separando casas, famílias e amigos — e sem aviso, um muro começa a ser erguido.

Começava então a construção do Muro de Berlim, que dividiria a cidade e se converteria no principal símbolo da Guerra Fria. O bloqueio tinha a intenção de interromper a migração de alemães-orientais da parte socialista da cidade (oriental) para a capitalista (ocidental).

Desde 1945, a cidade alemã vinha sendo alvo de disputas entre as potências vencedoras da Segunda Guerra Mundial. Meses após a assinatura do armistício, reuniram-se Stálin (líder soviético), Clement Attlee (primeiro-ministro do Reino Unido) e Harry Truman (presidente dos Estados Unidos) na Conferência de Potsdam, cujo tema central foi a divisão administrativa da Alemanha derrotada.

Na ocasião, decidiu-se pela divisão do país em quatro zonas militares, administradas por França, Reino Unido, União Soviética e Estados Unidos. Berlim, situada 150 quilômetros dentro da zona de ocupação soviética — encravada na Alemanha Oriental, portanto —, também seria subdividida em quatro setores sob a administração de comandantes militares das potências vencedoras.  

Depois da conferência, o abismo político se aprofundou; Berlim foi cercada pelos soviéticos em 1948, em represália ao plano Marshall — política norte-americana de assistência econômica aos países aliados na guerra.

Stálin interrompeu o tráfego para Berlim ocidental, sob o argumento de que não poderia haver presença capitalista no interior da zona soviética. A alternativa encontrada para abastecer de mantimentos e combustíveis a resistência na região foi por via aérea.

Em 1949, decidiu-se pela criação da República Federal da Alemanha (RFA), capitalista, e da República Democrática Alemã (RDA), sob orientação comunista. Foi o fim do bloqueio, mas não das disputas por Berlim ao longo da década de 1950.

A queda do muro, em 1989, simbolizaria a derrocada do comunismo soviético. Nesses 28 anos, 138 pessoas morreriam tentando passar para a parte ocidental.