4 e 5 de novembro

Projeto de criação da Alca é enterrado

Países do Mercosul comandam oposição vitoriosa à proposta dos EUA

Em novembro de 2005, após 11 anos de negociações, o projeto de criação da Área de Livre-Comércio das Américas (Alca) é engavetado devido a impasse na 4ª Cúpula das Américas, em Mar del Plata. Brasil, Argentina, Venezuela, Uruguai e Paraguai são os responsáveis pela vitoriosa articulação contrária à criação do bloco. 

A Alca, inicialmente proposta pelos EUA em 1994, previa a eliminação das barreiras alfandegárias entre os 34 países do continente americano, criando a maior área de livre comércio do mundo, que englobaria o Mercosul e o Nafta (Acordo de Livre Comércio da América do Norte). Uma de suas premissas era o atrelamento da política econômica dos países participantes aos Estados Unidos, que manteriam barreiras não-alfandegárias em seu território, tais como subsídios, cotas e restrições. 

A proposta recebeu amplas críticas da sociedade civil de diversos países latino americanos. No Brasil, realizou-se plebiscito de iniciativa popular, em 2002, com mais de 10 milhões de votos, em que a participação do país na Alca foi rechaçada por mais de 98% das pessoas. 

Com a discordância dos países do Mercosul e da Venezuela em relação à maior parte dos itens do acordo, o projeto de criação da Alca não seria mais retomado. Após o fim do debate sobre a Alca, seria impulsionada a criação de novos blocos regionais nas Américas: em 2008, surgiria a Unasul (União das Nações Sul-Americanas) e, em 2011, a Celac (Comunidade de Estados Latino-Americanos e Caribenhos).