12 de setembro

Presidente azeda o café com leite

Washington Luís rompe com Minas e indica outro paulista para a Presidência

Delegados dos 17 estados participantes da convenção situacionista rompem acordo entre São Paulo e Minas Gerais e, em vez de indicar como candidato à Presidência da República o mineiro Antônio Carlos Ribeiro de Andrada, oficializam o nome de outro paulista, Júlio Prestes, desencadeando uma crise na política dos governadores.

A política do café com leite, derivada da política dos governadores (ou dos estados), previa o revezamento entre mineiros e paulistas na Presidência do Brasil. Mas a oligarquia paulista, consciente da importância econômica do seu estado, não queria abrir mão do comando político em tempos de crise do café. 

Em 1930, o acordo foi quebrado, o que não chegou a ser exatamente uma surpresa. Desde 1928, o presidente Washington Luís (nascido no Rio de Janeiro, mas radicado em São Paulo), já dava sinais de sua preferência pela candidatura de Júlio Prestes. 

No Carnaval de 1929, Francisco Alves entoava esta marchinha de Freire Jr., anunciando que “Seu Julinho” vinha aí:

“Seu Julinho vem, seu Julinho vem,
Se o mineiro lá de cima descuidar.
Seu Julinho vem, seu Julinho vem,
Vem mas custa, muita gente há de chorar.”

Os mineiros, no entanto, atentos aos movimentos do presidente, não deixaram por menos e articularam com os gaúchos e paraibanos uma candidatura alternativa à Presidência da República: Getúlio Vargas.