Setembro

'Deixa sangrar' é a aposta da oposição

Sem quadros para vencer Lula, partidos torcem por enfraquecimento do governo

A crise política decorrente das denúncias de corrupção envolvendo membros do governo e da base aliada inaugura um novo cenário na política brasileira. A um ano da eleição presidencial, a oposição, que vinha perdendo popularidade desde 2002, vê surgirem novas oportunidades de crescimento político e eleitoral.

Partidos da oposição, sob a liderança do PSDB e do DEM, seguiam uma estratégia de enfraquecimento do governo, com investigações, denúncias e CPIs. Nos bastidores, suas lideranças falavam em "deixar o governo sangrar", para que ele chegasse enfraquecido às eleições de 2006, permitindo o retorno da oposição ao comando do país.

Apesar da queda da popularidade do presidente e de seus aliados no segundo semestre de 2005, a oposição não conseguiria, no entanto, construir lideranças fortes capazes de catalisar a confiança dos descontentes.

Lula (e a esquerda, de modo geral) recuperaria sua popularidade e chegaria à reeleição em 2006.