Página 6

O som da propaganda eleitoral

A disputa por votos num eleitorado bem maior e diverso trouxe uma novidade: as músicas de propaganda eleitoral, que em pouco tempo se transformariam nos breves e marcantes jingles. Produzidas por encomenda, elas cantavam as propostas dos candidatos, com o objetivo de arrebatar a simpatia dos eleitores.

Inicialmente, as músicas de propaganda eleitoral tinham duração aproximada de três minutos e eram cantadas nas reuniões em geral, como festas e comícios, e transmitidas pelas rádios e alto-falantes nas ruas. Ao contrário dos jingles de 30 segundos que passariam a predominar a partir dos anos 1950, a intenção dessas canções não era tanto fixar ideias e slogans, mas principalmente animar as manifestações, mobilizar partidários e chegar ao ouvido de uma sociedade que se descobria intensamente política.

Canções e seus candidatos
1. O Alfabeto Tem 25 Letras (Getúlio Vargas, 1950)
2. Vou Votar em Madureira (Ademar de Barros, 1955)
3. Baião do Juarez (Juarez Távora, 1955)
4. Sai Governo, Entra Governo (Ademar de Barros, 1955)
5. Quero Dizer Neste Coco pra Você (Jânio Quadros, 1960)
6. Vamos Ganhar (Teixeira Lott e João Goulart, 1960)