Março

Direção do PCB destitui Prestes

Após 46 anos, líder comunista deixa partido; comunistas perdem influência

Luís Carlos Prestes, o mais respeitado líder comunista brasileiro, é destituído do cargo de secretário-geral do PCB, partido que estava sob sua direção desde 1934. As divergências dentro do Comitê Central vinham desde o período do exílio e tornaram-se públicas em março de 1979, quando Prestes divulgou a “Carta aos Comunistas”. O documento criticava a orientação do partido, que havia perdido influência no movimento sindical, no movimento estudantil e na luta pela redemocratização do país.

Prestes foi substituído por Giocondo Dias na secretaria-geral e deixou o PCB. Gregório Bezerra, outro comunista histórico, abandonou a direção do PCB em solidariedade a Prestes. O ex-secretário-geral nunca mais se filiou a um partido, embora tenha sido indicado presidente de honra do PDT de Leonel Brizola. Com a saída do “Velho”, como era conhecido, o PCB atuou no PMDB até a sua legalização, que viria em 1985. Em 1992, daria origem ao PPS.