4 de setembro

Direita explosiva age impunemente

Instituto de professores cassados e jornal 'Opinião' são alvo de bombas

Um mês depois do atentado contra a Associação Brasileira de Imprensa (ABI), uma bomba explode no Centro Brasileiro de Análise e Planejamento (Cebrap), em São Paulo. Fundado em 1969 e financiado pela Fundação Ford, o Cebrap reunia pesquisadores e professores das áreas de economia e ciências sociais afastados da USP pela ditadura.

Entre os fundadores da instituição estavam Boris Fausto, Carlos Estevam Martins, Elza Berquó, Fernando Henrique Cardoso, Francisco Weffort, Francisco de Oliveira, José Arthur Giannotti, José Reginaldo Prandi, Juarez Brandão Lopes, Leôncio Martins Rodrigues, Luciano Martins, Octavio Ianni, Paul Singer e Roberto Schwarz.

Em 15 de novembro, a redação do jornal alternativo "Opinião", no Rio, também seria alvo de ataque a bomba. As ações, assumidas pela Aliança Anticomunista Brasileira (AAB), nunca foram esclarecidas pelas autoridades de segurança.