1º de junho

Companhia Vale do Rio Doce é nossa!

Governo funda a empresa, encampa ferrovia e porto e nacionaliza jazidas

O presidente da República assina decreto passando para a propriedade da União a estrada de ferro Vitória-Minas e o porto de embarque de minérios do Espírito Santo, que pertencia à Companhia Brasileira de Mineração e Siderurgia. 

Getúlio deverá nomear um superintendente para administrar as companhias de extração e transporte de minério de ferro, até que seja formalizada a nova corporação — a Companhia Vale do Rio Doce (CVRD) —, que terá capital (misto) de 200 mil contos de réis e controle acionário do governo federal. A CVRD incorporará a Companhia Brasileira de Mineração e Siderurgia e a Companhia Itabira de Mineração.

Sua organização se dará nos mesmos moldes da Companhia Siderúrgica Nacional.

Esse decreto também teve a finalidade de regulamentar os Acordos de Washington, pelo qual o Brasil se comprometeu a fornecer minério de ferro aos Aliados. Como decorrência, foi dissolvida a companhia inglesa Itabira Iron Ore Company, cujas jazidas foram incorporadas ao patrimônio da União.