3 de outubro a 15 de novembro

Eleição municipal prioriza tema local

Sem discussão de caráter nacional, pleito pulveriza votos entre partidos

As eleições municipais de 1996 são pautadas pelas questões locais e comunitárias e não pelo debate de questões nacionais, o que produz uma grande dispersão partidária no comando das prefeituras.

O PMDB manteve o maior número de municípios, elegendo 1.295 prefeitos, enquanto o PSDB e o PFL, partidos da coligação de apoio ao governo federal, aumentaram suas participações, com 921 e 934 eleitos, respectivamente. 

Os partidos de esquerda, como o PT e o PDT, experimentaram pequena expansão, elegendo 110 e 33 prefeitos, respectivamente. Entretanto, colheram vitórias importantes nas capitais: o PT ganhou em  Porto Alegre, com Raul Pont, e em  Belém, com Edmilson Valentim; o PDT saiu vitorioso em Curitiba, com Cassio Taniguchi; e o PSB elegeu Célio de Castro prefeito de Belo Horizonte.

Nas capitais, o PMDB ficou com cinco prefeituras; o PSDB e o PFL, quatro cada um; o PPB, o PDT e o PSB, três; e o PT e o PTB, duas.