5 de outubro

Eleitorado emite sinais de mudança

PT e oposição são os grandes vitoriosos na eleição municipal de 2000

O eleitorado vai às urnas nas eleições municipais e emite claros sinais de que deseja mudanças. O PT supera a barreira de rejeição e é o grande vencedor do pleito, acumulando forças e afirmando-se como alternativa de governo. O partido faz seis prefeitos de capitais, contra quatro do PSDB e três do PFL, principais partidos da coalizão governista. No total de prefeituras do país, o PT passa das 112 obtidas em 1996 para 187. Conquista também 1.977 cadeiras de vereadores. 

Os petistas tiveram vitória expressiva em São Paulo, com a eleição de Marta Suplicy. O partido elegeu também os prefeitos de Porto Alegre, Recife, Aracaju, Goiânia e Belém. O número de votos dados aos candidatos do PT cresceu 51% em comparação com a eleição anterior. O resultado representou uma importante acumulação de forças pelo partido, que ganharia as eleições presidenciais dois anos depois.

O conjunto da oposição foi favorecido nessa eleição pela grande insatisfação com o governo Fernando Henrique Cardoso e o modelo econômico vigente. Juntos, os partidos de oposição elegeram 12 dos 26 prefeitos de capitais. O PSB foi vitorioso em quatro e o PDT, em duas. O PMDB manteve-se como a legenda com mais prefeituras (1.253), encolhendo ligeiramente em relação a 1996, quando conquistou 1.288 municípios. 

O PSDB cresceu um pouco, apesar do resultado pouco expressivo nas capitais. O partido do governo passou de 926 para 989 prefeituras. O PFL avançou de 927 para 1.027 cidades.