1º de fevereiro

Esquerda cresce no novo Congresso

Bancada salta para 149 deputados, mas governo ainda não tem ampla maioria

Tomam posse os deputados e senadores eleitos em 2002, desta vez com formação histórica: a esquerda tem sua maior bancada desde as eleições de 1986, logo após a redemocratização. Na Câmara, ela passa de 112 para 149 deputados. O PT agora tem o maior número de parlamentares (91), seguido pelo PSB, com 28, o PDT, com 18 e o PC do B, com 12. A base governista conta ainda com o apoio de partidos de centro — como o PL, do vice José Alencar —, ligados aos setores empresariais.

Esses dados não significavam, no entanto, que o governo tivesse ampla maioria na Câmara. No início de 2003, a base contava com 311 deputados — menos de dois terços da casa. Novas alianças elevariam o número de parlamentares governistas a 376, em dezembro daquele ano. Dos 15 partidos representados, 11 estariam apoiando o governo, total ou parcialmente, ao final de 2003.

A bancada dos partidos de esquerda no Senado também cresceu no último pleito. O PT expandiu sua representação para 14 cadeiras; o PDT continuou com 5 parlamentares; e o PSB chegou a 4 senadores. No entanto, a bancada aliada no Senado, no início de 2003, era composta por apenas 26 senadores. Até o final de 2003, esse número aumentaria para 42, com a ampliação do número de partidos aliados.