1º de maio

Estado brasileiro volta a contratar

Governo retoma concursos públicos e nomeia 155 mil novos servidores

Entre 2003 e 2010, são empossados, após aprovação em concurso, 155.533 servidores públicos. O número é três vezes superior ao dos nomeados pelo mesmo processo seletivo em igual período anterior. As principais áreas de contratação de funcionários são saúde, educação, gestão pública e segurança. As contratações refletem a mudança na gestão política do Estado brasileiro, que após a democratização passou por um período de enxugamento e privatizações e, a partir de 2003, voltou a se fortalecer com a expansão das políticas sociais.

Entre 2001 e 2011, o número de professores em universidades e escolas técnicas cresceria quase 100%, passando de quase 46 mil para 90 mil. Na segurança pública, houve aumento de 3.631 profissionais no efetivo da Polícia Federal e de 1.889 na Polícia Rodoviária Federal.

Apesar da multiplicação do número de concursos públicos e da política de valorização do Estado, a administração federal ainda tinha, em 2010, 21 mil funcionários a menos do que em 1991. Em 2010, a grande maioria (74%) dos cargos comissionados federais é ocupada por concursados.

Em uma comparação internacional, segundo dados da Organização Internacional do Trabalho (OIT), o Brasil contava, em 2008, com 60 servidores públicos para cada mil habitantes, índice bastante  inferior ao de países como a Finlândia (251), Reino Unido (198), Alemanha (142) e Chile (78). O Estado brasileiro empregaria, em 2010, pouco mais de 10% do mercado de trabalho, enquanto na Noruega e na Dinamarca 34% dos trabalhadores seriam funcionários públicos.