10 de junho

Governo derruba o velho prédio da UNE

Sede histórica no Rio é demolida antes de ser retomada pelos estudantes

Cerca de 500 policiais militares reprimem com bombas e cassetetes uma manifestação contra a demolição do prédio histórico da União Nacional dos Estudantes (UNE) no bairro do Flamengo, no Rio de Janeiro. Quatro parlamentares são feridos e 14 pessoas, presas. A demolição do prédio – alegadamente por razões de segurança – havia sido suspensa na véspera pelo juiz Carlos Aarão Reis, da 3ª Vara Cível. Para fazer valer sua ordem, o juiz chegou a dar voz de prisão a 13 operários que trabalhavam na derrubada do imóvel e a mostrar um revólver a agentes da Polícia Federal.

Meses antes, a nova direção da UNE eleita em 1979 havia anunciado que iria restaurar e ocupar sua antiga sede, incendiada em 1º de abril de 1964, quando era o centro da resistência dos estudantes ao golpe. A decisão de demolir o prédio, que pertencia ao patrimônio da União, foi tomada logo depois do anúncio de que os estudantes voltariam ao Flamengo. Durante uma semana houve manifestações e conflitos diante do imóvel. A liminar do juiz Aarão Reis acabaria sendo cassada pelo Tribunal Federal de Recursos e a demolição foi concluída.