14 de maio

Greve sem repressão tem acordo na csN

Sem invasão militar, sindicato pode negociar com a direção da empresa

Cerca de 4 mil metalúrgicos ocupam a Companhia Siderúrgica Nacional (CSN), em Volta Redonda (RJ), para impedir a demissão de 2 mil trabalhadores. A direção da empresa justificava a medida pela necessidade de reduzir custos operacionais e preparar a privatização da companhia.

Após uma paralisação de 12 horas, 625 funcionários foram readmitidos. A empresa firmou o compromisso de discutir com o Sindicato de Metalúrgicos de Volta Redonda novas medidas para sanear as finanças da CSN, que empregava então 20 mil trabalhadores.

Para o diretor do sindicato, Jadir Batista, outras medidas de contenção de gastos poderiam ser adotadas, como a “demissão dos militares reformados que trabalham na CSN e moram de graça nas residências dos oficiais do Exército”.