Agosto

Justiça e paz nasce em tempo de terror

Dom Paulo cria comissão de notáveis para defender direitos humanos

Nasce a Comissão Justiça e Paz de São Paulo por iniciativa do cardeal dom Paulo Evaristo Arns, arcebispo da cidade. Ela tornou-se um símbolo de resistência contra o arbítrio e a violação dos direitos humanos pela ditadura militar, amparando centenas de perseguidos políticos e seus familiares.

Segundo d. Paulo, o grupo “nasceu em tempos terríveis e por causa desses tempos terríveis. Sobreviveu e cresceu pela invenção contínua da coragem e da fé – fundamento do que se espera, certeza do que não se vê”.

A comissão, que teve entre seus fundadores Fábio Konder Comparato, foi presidida pelo jurista Dalmo Dallari, pelos advogados José Carlos Dias, Marco Antonio Barbosa e Antonio Funari Filho e pela a socióloga Margarida Genevois.