21 de janeiro

Críticos de Stálin fundam liga

Grupo se opõe à orientação stalinista e quer de volta política revolucionária

Evento na Associação dos Empregados do Comércio marca a criação da Liga Comunista Internacionalista. Participam da nova organização Mário Pedrosa, o professor Aristides Lobo, o trabalhador gráfico João da Costa Pimenta, os jornalistas Fúlvio Abramo e Lívio Xavier e outros integrantes do Grupo Comunista Lenine — seção brasileira da Oposição de Esquerda Internacional liderada por Leon Trótski. 

Era o primeiro grupo de brasileiros críticos à liderança de Stálin e às orientações do Partido Comunista do Brasil. Seus integrantes não pretendiam romper com o partido, mas fazê-lo restabelecer os princípios e a política revolucionários, opondo-se ao que chamam de desvios do stalinismo. 

Um dos principais objetivos da liga era estabelecer a democracia interna no partido, pois sua disciplina rígida impedia os sindicatos de discutir e, muito menos, de discordar das orientações que lhes eram encaminhadas.

A Liga Comunista Internacionalista teve como órgão oficial o jornal “A Luta de Classe”.