10 de agosto

Margaridas saem em marcha por justiça

Trabalhadoras rurais se mobilizam por melhores condições de vida e trabalho

Mais de 20 mil mulheres do campo realizam em Brasília a primeira edição da Marcha das Margaridas, movimento de luta por igualdade de gênero, combate à fome e à violência. Outras marchas aconteceriam em 2003, 2007 e 2011. Desde então, são realizadas anualmente.

A manifestação recebeu esse nome em homenagem a Margarida Alves, símbolo da luta da mulher pela terra, por justiça e pela igualdade. Presidente do Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Alagoa Grande (PB) durante 12 anos, Margarida foi assassinada em 12 de agosto de 1983 por um pistoleiro, a mando de usineiros da região. O crime ocorreu na porta de sua casa, na frente de seu marido e filho.

A Marcha das Margaridas é coordenada pelo Movimento Sindical de Trabalhadores e Trabalhadoras Rurais, composto pela Confederação Nacional dos Trabalhadores na Agricultura (Contag), 27 federações estaduais e mais de 4 mil sindicatos. O ato tem apoio da Articulação de Mulheres Brasileiras, da Marcha Mundial de Mulheres e da Central Única dos Trabalhadores.