1º de setembro

'Menino de Engenho' revigora literatura

José Lins do Rego mostra a realidade nordestina pelo olhar de uma criança

O primeiro livro de José Lins do Rego, que acaba de ser lançado pela Andersen Editores, tem forte repercussão nos meios literários brasileiros. “Menino de Engenho” revela, em linguagem simples e direta, as violências e contradições da sociedade patriarcal nordestina, recém-saída da escravidão, vistas pelos olhos de uma criança.

O livro foi escrito na primeira pessoa e conta as experiências de Carlinhos, que, aos quatro anos de idade, viu seu pai assassinar sua mãe. Passou então a viver com o avô materno, até que aos doze anos foi para o colégio interno.

José Lins do Rego, paraibano residente em Alagoas, dedicou sua obra a José Américo de Almeida, Jorge de Lima, Gilberto Freyre e Olívio Montenegro. O poeta Augusto Frederico Schmidt o comparou ao Prêmio Nobel francês André Gide, numa longa e elogiosa resenha publicada no “Diario de Notícias”.