15 de julho

Migrante volta para o Nordeste

Oferta de emprego atrai nordestinos que deixaram terra natal para sobreviver

Estudo do IBGE revela que, desde 2001, o Nordeste é a região com mais migrantes que voltam à cidade de origem, intensificando fluxos de retorno iniciados na década de 1990. Além disso, o número de nordestinos que emigram para as demais regiões é menor, com o declínio do potencial atrativo do Sudeste e o aumento da migração intrarregional, especialmente para cidades médias (de até 500 mil habitantes).

As migrações internas no Brasil caíram 37,5% de 2001 a 2009. O fenômeno se explica pelo modelo de crescimento baseado no desenvolvimento regional, nas ofertas de emprego espalhadas pelo país e na multiplicação de polos econômicos e industriais, especialmente no Nordeste. 

Pernambuco, Sergipe, Rio Grande do Norte e Paraíba foram os estados nordestinos com maior retorno de migrantes, com índices superiores a 20%.

Na primeira década dos anos 2000, o Nordeste passou por intenso desenvolvimento econômico e social, com ampliação do acesso a serviços e equipamentos públicos, aumento da expectativa de vida, urbanização de cidades médias, promoção de políticas de enfrentamento da seca e elevação da renda per capita (num ritmo 65% superior à média nacional).

Nas migrações intrarregionais, destacaram-se novos centros de desenvolvimento no interior, como os polos de confecção do Agreste Pernambucano e de fruticultura do Vale do São Francisco.