24 de maio

Mortalidade infantil já é 61,7% menor

Brasil ganha nove posições no combate à morte de crianças no 1º ano de vida

Cai a mortalidade infantil no Brasil. Estudo da revista médica internacional "The Lancet" indica que, de 1990 a 2010, a taxa de mortalidade infantil no Brasil caiu 61,7%, passando de 52,04 mortes por mil nascimentos para 19,88/mil. O país avança, assim, à 90ª colocação no ranking mundial de combate à mortalidade infantil, subindo 9 posições.

O censo brasileiro de 2010 revelaria que a taxa de mortes de bebês de até um ano de idade cairia ainda mais, para 15,6/mil — índice 47,5% menor do que registrado em 2000 (29,7/mil). O Nordeste teria a maior redução no período — 58,6%.

A queda da mortalidade infantil resultou de fatores como redução da taxa de fecundidade, maior escolaridade materna, aumento da renda e ampliação do acesso à saúde e ao saneamento básico.

O Brasil se anteciparia dois anos e alcançaria em 2013 o quarto Objetivo de Desenvolvimento do Milênio, que estabelecia, como meta para cada um dos 191 países da ONU, a redução da mortalidade infantil em dois terços entre 1990 e 2015.

Os oito Objetivos de Desenvolvimento do Milênio surgiram da Declaração do Milênio, criada em setembro de 2000 pelos Estados-membros da ONU, que se comprometeram a uma nova parceria global para reduzir a pobreza extrema.