12 de maio

Movimento negro se torna mais visível

Entidades boicotam celebrações oficiais no centenário da abolição

No centenário da assinatura da Lei Áurea, as principais entidades do movimento negro se recusam a participar de festas oficiais, focadas na figura da princesa Isabel. As organizações realizam atos públicos em diversas cidades do país, que lembram a luta dos escravos. Os militantes protestam contra a discriminação, a exclusão e os problemas sociais ainda enfrentados pela população afrodescendente.

No Rio de Janeiro, grupos saem às ruas entoando versos contra o racismo no Brasil, como os do samba-enredo da Mangueira: “Será que já raiou a liberdade ou foi tudo uma ilusão?”

Apesar da natureza pacífica do protesto, a polícia cercou os manifestantes, impedindo-os de se aproximar do monumento a Duque de Caxias, considerado por alguns como um símbolo da sociedade escravocrata. Em São Paulo, os manifestantes “malharam” uma boneca representando a princesa Isabel, o que motivou protestos de remanescentes da família imperial brasileira.