2 de setembro

Os trabalhadores erguem a cabeça

Assembleia em São Bernardo inicia movimento por reposição salarial

Cinco mil trabalhadores reunidos em assembleia no Sindicato dos Metalúrgicos de São Bernardo e Diadema aprovam a reivindicação de reajuste salarial de 34,1% para recuperar perdas provocadas pela manipulação dos índices oficiais de inflação. O movimento pela reposição salarial foi o primeiro passo da retomada do movimento sindical independente no país, que iria se destacar no enfrentamento à ditadura durante os anos seguintes.

A reivindicação dos trabalhadores baseava-se em relatório secreto do Banco Mundial sobre a economia brasileira, divulgado em julho de 1977 pela "Folha de S.Paulo". A instituição apontou que a inflação real de 1973 havia sido de 22,5% e não de 15,5% como divulgara o governo. Esse era o índice que reajustava os salários dos trabalhadores. A perda salarial acumulada até 1977 foi de 34,1%, de acordo com o Departamento Intersindical de Estatísticas e Estudos Socioeconômicos (Dieese), organismo de assessoria dos sindicatos.

Quatro ministros receberam em Brasília uma comissão de sindicalistas de São Bernardo, São Caetano e Santo André, mas o governo se recusou a discutir a reivindicação salarial. Proibiu o sindicato de São Bernardo de negociar com as entidades patronais qualquer reajuste baseado na reposição salarial. O movimento, entretanto, se expandiria pelo país e projetaria nacionalmente o então líder dos metalúrgicos Luiz Inácio da Silva, o Lula.