5 a 30 de maio

País redescobre os 'Anos Dourados'

Minissérie resgata a fase de esperança e liberdade que precedeu o golpe

A TV Globo exibe a minissérie "Anos Dourados", que traça um painel sobre o período que vai do final dos anos 1950 ao golpe militar de 1964. Escrita por Gilberto Braga e dirigida por Roberto Talma, a minissérie mostra a era JK, marcada pela construção de Brasília, a chegada da indústria automobilística e as grandes obras de infraestrutura que garantiram maior integração regional ao país.

Nessa fase, o Brasil passava por uma grande efervescência política, com fortalecimento dos sindicatos, dos movimentos sociais e dos partidos de esquerda. Vivia também uma verdadeira revolução estética, com o surgimento da Bossa Nova, do Cinema Novo e de companhias teatrais de vanguarda. Romances marcantes foram publicados nesse período. Os costumes e a moral conservadora começavam a ser contestados.

O painel de época traçado por Braga tem no centro da narrativa o romance entre a normalista Lurdinha, vivida pela atriz Malu Mader, e Marcos, estudante do Colégio Militar interpretado por Felipe Camargo. Lurdinha é filha de um médico respeitado e de uma dona de casa religiosa. Marcos vive com a mãe divorciada, que trabalha em uma boate, e é filho de um músico da noite. O casal enfrenta a oposição da conservadora família dela. A partir do romance, o Brasil de um período promissor, que combinou democracia, desenvolvimento e participação popular, é revelado às gerações que deixavam para trás os 21 anos de ditadura e apostavam na construção de um novo país.

A minissérie foi sucesso entre telespectadores de diferentes faixas etárias e foi licenciada para exibição em mais de 20 países. A canção-tema com o mesmo título, de autoria de Tom Jobim, tornou-se um clássico da música popular brasileira.