26 de outubro

Parada LGBT de SP vai para o 'Guinness'

2,5 milhões desfilam na avenida Paulista e registram recorde mundial do evento

A 10ª Parada do Orgulho LGBT de São Paulo acaba de ser incluída no "Livro dos Recordes" ("Guinness Book"), como a maior do gênero no mundo — 2,5 milhões de participantes. A parada paulistana é realizada anualmente na avenida Paulista desde 1997.

A sigla LGBT refere-se a “lésbicas, gays, bissexuais, travestis e transexuais”. As paradas LGBT, momento de reafirmação política e celebração identitária, são promovidas em todo o planeta.

No Brasil, o movimento LGBT começou a tomar forma, sob a denominação de “movimento gay” ou “movimento homossexual”, no fim da década de 1970. No efervescente contexto da redemocratização política do Brasil, nos anos 1980, a população LGBT buscou politizar o livre exercício da sexualidade, a fim de reivindicar direitos iguais.

Algumas das batalhas históricas travadas pelo movimento LGBT foram o combate à violência homofóbica, o enfrentamento do HIV-aids e a luta, capitaneada pelo Grupo Gay da Bahia (GGB), em 1982, pela mudança do código de classificação de doenças do Inamps (Instituto Nacional de Assistência Médica da Previdência Social, extinto), que descrevia a homossexualidade como “desvio ou transtorno sexual”.

A primeira Parada do Orgulho LGBT de São Paulo foi realizada em 28 de junho de 1997, com cerca de 2 mil participantes. Nos anos 2000, a parada de São Paulo cresceu, e o número de paradas semelhantes no país também. Até 2010, todas as capitais contariam com paradas LGBT, assim como boa parte dos municípios brasileiros de grande e médio porte.

Segundo a SPTuris (empresa municipal de turismo de São Paulo), a Parada do Orgulho LGBT de São Paulo é o evento que mais atrai turistas à cidade. A edição com maior número de participantes seria a de 2011, com 4 milhões de pessoas.