30 de setembro

Governo e Exército forjam Plano Cohen

Ameaça comunista é inventada para justificar estado de guerra e ditadura

Governo anuncia descoberta do Plano Cohen, pelo qual os comunistas pretendem atacar o país, incendiar prédios públicos, promover fuzilamentos, greve geral, saques e desordem. Plano foi elaborado pela 3ª Internacional Comunista ("Komintern"). Documento chega às mãos de Getúlio depois de circular pelos quartéis.

Tudo mentira. O Plano Cohen, anunciado pelo governo como se fosse uma grave ameaça ao país, fora arquitetado pelo capitão Olímpio Mourão Filho, organizador das milícias da Ação Integralista Brasileira e lotado no setor de inteligência do Estado-Maior do Exército.

Tratado como verdadeiro, o “plano” foi divulgado pelo programa radiofônico oficial, com o intuito de reacender a histeria anticomunista e preparando a opinião pública para aceitar uma ditadura — o que não demoraria a acontecer.

No dia 1º de outubro, a Câmara Federal aprovaria, por 138 votos a 52, a implantação do estado de guerra. No dia 10 de novembro, Getúlio anunciaria ao país e ao mundo a instituição do Estado Novo.

Só em 1945 os brasileiros saberiam que o Plano Cohen não havia passado de uma grosseira falsificação.

Muitos anos mais tarde, o mesmo Mourão Filho, já promovido a general, seria responsável pela deflagração do golpe militar de 1964.