27 de abril

Samu centralizará socorro urgente

Serviço funcionará com parcerias, o que coíbe uso político das ambulâncias

O presidente Lula assina o Decreto nº 5.055/2004, criando o Serviço de Atendimento Médico de Urgência (Samu), que funcionará por meio de parcerias entre o governo federal, estados e municípios.

O serviço destina-se a presta socorro imediato a pessoas em situação de emergência de saúde, no local da ocorrência, garantindo atendimento adequado ao ambiente pré-hospitalar e acesso ao sistema de saúde. Os serviços de atendimento pré-hospitalar do Samu são acionados por discagem rápida para o número 192.

Para o funcionamento do Samu, o Executivo federal entra com uma contribuição mensal a municípios e estados, bancando 50% do custeio dos serviços de emergência.

Por se basear em parcerias entre governo federal, estados e municípios, o Samu enfraquece as práticas coronelistas que consistiam em usar a concessão de ambulâncias como moeda de troca por favores políticos.

Até 2014, o serviço seria implantado em 2.926 municípios, com 3.182 ambulâncias, garantindo cobertura em situações médicas de urgência a 73% da população brasileira.