4 de junho

Prisão de 300 impede encontro pela UNE

Polícia faz prisão em massa e enquadra estudantes na Lei de Segurança

A ditadura impede a realização do 3° Encontro Nacional dos Estudantes (ENE) em Belo Horizonte. Na pauta da reunião estava a recriação da União Nacional dos Estudantes (UNE), declarada ilegal desde o golpe militar de 1964.

A polícia impediu o acesso dos ônibus com caravanas de todo o país na entrada da capital mineira. O Exército cercou o local do encontro, na Faculdade de Medicina da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). Sob ameaça de violenta invasão do campus, cerca de 300 estudantes se entregaram. Foram presos e enquadrados na Lei de Segurança Nacional.

Dois dias depois da repressão ao 3° ENE, o reitor da Universidade de Brasília (UnB), capitão-de-mar-e-guerra José Carlos Azevedo, puniria estudantes por manifestações de solidariedade aos colegas. O reitor decretou o recesso da universidade, ocupada pela polícia, que prendeu professores, alunos e funcionários.