Janeiro de 2010

De novo, salários batem a inflação

Em plena crise, 92,9% das categorias de trabalhadores obtêm ganho real mensal

Estudo do Dieese aponta que 92,9% das categorias de trabalhadores têm ganho real de salário, com reajustes acima da inflação — que foi de 4,1% em 2009 —, e 3% obtêm reajuste igual à reposição da inflação. Somente 4,1% delas computam perdas salariais.

Os melhores índices de ganho real de salário até então haviam sido registrados em 2006 e 2007, quando 85,7% e 87,7% das categorias, respectivamente, tiveram aumento salarial real, o que podia ser explicado pelo cenário de expansão da economia e inflação em baixa.

O ganho real atual foi alavancado pela política de valorização do salário mínimo, que impactou boa parte da massa salarial do país. Em 2009, o reajuste nominal do salário mínimo foi da ordem de 9,7%. Descontando o IPCA, o reajuste real chega a 4,4%.

A participação dos salários no PIB aumentou de 46,26%, em 2003, para 51,4% em 2009.

Em 2010, com a retomada do crescimento do PIB, a porcentagem de categorias com ganho salarial real subiria para 93,8%. Apenas 3,8% das categorias teriam perdas salariais em 2010.