agosto

Isolados, paulistas entram na defensiva

Com apoio dos estados e da opinião pública, tropas legalistas avançam

Acreditando que a guerra contra o Governo Provisório seria um passeio, os paulistas percebem que, sem o esperado apoio de Minas Gerais e Rio Grande do Sul, e ainda das tropas do general Bertoldo Klinger vindas de Mato Grosso, a luta parece fadada ao fracasso.

São Paulo também esperava o apoio parcial dos outros estados brasileiros para finalmente derrubar Vargas e assumir o comando do país em poucos dias. Mas nada disso aconteceu.

O Governo Provisório manteve-se firme e teve o suporte de todos os interventores estaduais. Além do apoio político e da superioridade militar, Getúlio ainda vinha conquistando espaço na batalha da opinião pública brasileira — cada vez mais favorável a ele.

Isolados por terra, mar e ar, os paulistas não se rendiam. A guerra sacudia o país.