21 de julho

Dick Farney lança o disco 'Copacabana'

Gravação consagra o samba-canção como o gênero preferido nas boates

A gravadora Continental lança a música “Copacabana”, de Braguinha e Alberto Ribeiro, na voz do novato Dick Farney, no lado A de um disco de 78 rpm (rotações por minuto). A canção marca a consagração de um gênero, o samba-canção.

”Copacabana” figuraria por um ano e meio nas paradas de sucesso e se tornaria a trilha sonora do país da segunda metade dos anos 1940 ao início dos anos 1950.

O samba-canção é um samba, porém lento, suave, com frases musicais mais longas e letras narrativas, quase sempre sobre um amor infeliz ou malsucedido. Diferente do bolero, porém, o samba-canção é produto da canção romântica brasileira do século 19 (a modinha, a seresta e a marcha-rancho) e do samba do início do século 20.

Esse ritmo preencheria o vazio deixado pelo fechamento dos cassinos. Sem a alternativa dos imensos salões de bailes e de orquestras completas, a canção popular construiria seu habitat nas boates — uma novidade para o Brasil da época. Seria nelas que esse gênero se desenvolveria plenamente.

As casas noturnas eram pequenas, e dançava-se à meia-luz, ao som de um piano ou saxofone. E “Copacabana”, com sua suavidade — e a voz de Dick Farney —, se tornou a canção perfeita para esse ambiente.

O samba-canção alterou o rumo da canção popular brasileira. A bossa nova se encarregaria mais tarde de completar essa mudança.