1º novembro

Fundada a Legião Cívica 5 de Julho

Organização tenentista defende ideais socialistas e é contra o separatismo

Um grupo de operários, militares, professores e profissionais da classe média, identificados com os ideais tenentistas, funda a seção paulista da Legião Cívica 5 de Julho. A instituição afirma nos estatutos sua oposição ao “separatismo paulista”. Seu objetivo é “propiciar por todos os modos o socialismo com obediência às necessidades e realidades nacionais”.

A legião defendia a “instrução e educação física, moral e intelectual da coletividade e a extensão universitária popular”, a saúde pública, o saneamento dos sertões, a garantia da mais ampla liberdade de culto, de palavra, de reunião e associação, o direito de greve, de locomoção e de voto. Seus participantes se envolviam na luta pela emancipação civil, econômica e política da mulher, pelo ensino primário integral, gratuito, leigo e obrigatório, pela instituição do ensino profissional, técnico, popular e pela criação da Universidade do Trabalho.

O Rio de Janeiro já tinha uma entidade com o mesmo nome desde 1931. A criação da congênere paulista foi adiada por causa do conflito armado. Representantes das duas instituições se encontrariam meses depois no Congresso Revolucionário do dia 15 de novembro de 1932, no Rio de Janeiro.