7 de julho

Trabalhador paga a conta pela crise

Mercedes demite 5 mil num só dia; Ford dispensa 700: é a estagflação

Nove mil trabalhadores da Ford entram em greve em protesto contra 700 demissões de operários da montadora. Na volta ao trabalho, após cinco dias de greve, a empresa garante 120 dias de estabilidade, mas não readmite os trabalhadores. Em 7 de agosto, a Mercedes-Benz dispensa 5.200 operários em um só dia, além de paralisar por 50 dias as suas linhas de produção. Os demitidos, revoltados, forçam o portão principal e ocupam o pátio da montadora. 

As demissões em massa eram consequência da grave crise econômica em que o país havia mergulhado, com inflação em alta e retração da atividade produtiva. Essa combinação perversa e rara é chamada de estagflação.