16 de maio

TV exibe folhetim sobre a esperteza

A novela "Vale Tudo" põe em debate o valor da honestidade e da ética

Estreia no horário nobre da TV Globo a novela “Vale Tudo”, escrita por Gilberto Braga, Aguinaldo Silva e Leonor Basseres. Já nos primeiros capítulos, a trama deixa clara sua inspiração: a cena política e social do Brasil no final dos anos 1980, em que temas como a falta de ética, a corrupção e a impunidade passaram a ser intensamente debatidos. No desenrolar dos capítulos da novela, o telespectador assistiria a episódios pontuados por golpes baixos, subornos e crimes de naturezas diversas.

O final da novela suscitaria discussões sobre o destino reservado aos personagens Marco Aurélio (interpretado por Reginaldo Faria) e Maria de Fátima (Glória Pires), que se tornam milionários à custa de atos ilícitos e não são punidos por nenhum de seus crimes. Deste epílogo nasce o debate: “Vale a pena ser honesto no Brasil?”

O folhetim também abordou o tema da homossexualidade feminina e teve censuradas cenas e diálogos entre o casal Cecília (Lala Deheinzelin) e Laís (Cristina Prochaska).