Maio

'Quarup' desvenda um Brasil profundo

Livro de Antônio Callado mostra o país dos índios e dos camponeses

No romance "Quarup", Antônio Callado traça um painel social e político do Brasil desde o suicídio de Getúlio Vargas, em 1954, até o primeiro ano da ditadura militar. O romance é um testemunho dos enfrentamentos sociais no país, antes e imediatamente depois do golpe, na perspectiva de Nando, um padre em conflito com suas obrigações religiosas. O convívio com os índios do rio Xingu e a paixão por uma jovem militante dos movimentos do campo conduzem Nando ao engajamento político, às vésperas do golpe.

O livro percorre o Brasil profundo dos camponeses e indígenas, numa trama que aborda a política institucional, os partidos de esquerda, as ligas camponesas e os sindicatos de trabalhadores rurais. Também denuncia as torturas. Publicado no momento em que muitos jovens se engajavam em organizações revolucionárias, "Quarup" é um livro que marcou aquela geração de brasileiros.