1º de janeiro

O metalúrgico chega à Presidência do país

200 mil em Brasília assistem à posse de Lula, eleito com 61,3% dos votos

O dia 1º de janeiro de 2003 é uma data histórica para a Praça dos Três Poderes, em Brasília. Pela primeira vez, um operário veste a faixa presidencial. Uma multidão se reúne para presenciar, no palácio do Planalto, a posse do operário Lula como presidente da República: são mais de 200 mil pessoas ao longo da Esplanada dos Ministérios. Ônibus e caravanas vêm de todos os cantos do país para fazer desta a mais concorrida de todas as posses presidenciais no país.

Em sua quarta candidatura, Lula compusera uma chapa com o empresário José Alencar, do Partido Liberal (PL), numa tentativa de conquistar também o eleitorado moderado. Durante a campanha, ele próprio se definiu como o "Lulinha, paz e amor", e assim conseguiu unificar partidos de esquerda, de centro e até conservadores.

No primeiro turno, Lula conseguiu 40 milhões de votos. No segundo, com o apoio de Anthony Garotinho, do Partido Socialista Brasileiro (PSB), e Ciro Gomes, do Partido Popular Socialista (PPS), obteve 52 milhões de votos, derrotando por ampla margem o tucano José Serra, que só foi vitorioso em Alagoas.

Lula, primeiro pernambucano a assumir a Presidência da República, seria responsável por um período de crescimento econômico e distribuição de renda, marcado por programas sociais de grande alcance, como o Bolsa Família. A eleição de Lula e seus oito anos de governo colocariam o povo no centro das decisões.