29 de novembro

Universidades ficam com as salas vazias

Greve de professores e servidores públicos dura mais de cem dias

As universidades federais entram em greve em protesto contra o sucateamento das instituições públicas de ensino superior. Professores e servidores técnicos paralisam suas atividades, reivindicando reajuste de salários correspondente à inflação acumulada nos dois mandatos de Fernando Henrique Cardoso. Os grevistas só retomaram as atividades depois de mais de três meses parados, com a liberação de R$ 328 milhões do orçamento da União.

Contudo, no dia anterior ao fim da paralisação, durante a solenidade de entrega do Prêmio Finep de Inovação Tecnológica, o presidente da República indignou a comunidade acadêmica. Em discurso, Fernando Henrique, que fora professor na USP e em universidades estrangeiras, disse: “Se a pessoa não consegue produzir, coitado, vai ser professor. Então fica a angústia: se ele vai ter um nome na praça ou se ele vai dar aula a vida inteira e repetir o que os outros fazem”.