8 de dezembro

URSS acaba e Guerra Fria chega ao fim

União Soviética se dissolve e termina a experiência socialista na Europa

Rússia, Ucrânia e Bielorrússia anunciam a dissolução da União das Repúblicas Socialistas Soviéticas (URSS), criada em 1922 como resultado da Revolução Bolchevique (1917). Com o fim da URSS, completa-se o desmonte da experiência do socialismo real iniciado em 1989 com a queda do Muro de Berlim. Termina também a Guerra Fria, que opunha o bloco socialista ao Ocidente liderado pelos Estados Unidos.

Entre 1987 e 1988, a URSS já havia desistido da disputa armamentista com os Estados Unidos e assinou uma série de protocolos nesse sentido. Aceitou limitar arsenais, retirar-se do Afeganistão e reduzir sua presença militar na Europa Oriental.

O colapso teve início em 1985 com a posse do presidente Mikhail Gorbatchev. Ele propôs uma série de medidas para enfrentar a crise interna do regime, decorrente do esgotamento econômico e da insatisfação popular com os privilégios da burocracia estatal, a privação de liberdade e de acesso ao consumo. 

A política batizada de “perestroika”, palavra que pode ser traduzida por “reconstrução”, propunha alterações profundas na estrutura do sistema econômico. A “glasnost”, termo que está associado à ideia de “transparência”, realizaria mudanças no sentido de mitigar o poder do Estado e ampliar as liberdades individuais e coletivas.

O governo soviético não conseguiu, porém, conter as reformas nos limites planejados. Em pouco tempo, o mundo assistiria à queda de praticamente todos os governos socialistas do Leste Europeu. 

A Hungria, em 1989, e a Polônia, em 1990, realizaram eleições livres. Outros três países, também em 1989, enfrentaram revoltas populares que impuseram o fim do regime socialista: Tchecoslováquia, Bulgária e Romênia.